Mundo

Estado Islâmico assume atentado na capital afegã

Pelo menos 60 pessoas, a maioria xiitas, morreram e 119 ficaram feridas na sequência de um ataque suicida ocorrido ontem num centro de recenseamento eleitoral em Cabul, capital do Afeganistão, reivindicado pelo Estado Islâmico, revela um balanço das autoridades.

Bombista suicida causou 60 mortos e mais de 100 feridos
Fotografia: DR

De acordo com um oficial da Polícia de Cabul, o suicida que se fez explodir atingiu civis que esperavam para receber o seu cartão de eleitor.
O Ministério da Saúde divulgou os números de 57 mortos e 119 feridos (um anterior balanço referia 48 mortos e 112 feridos), a grande maioria membros da minoria xiita hazara, regularmente alvo dos extremistas sunitas do Estado Islâmico.
Wahid Majrooh, porta-voz do Ministério, disse que pelo menos 21 mulheres e cinco crianças estão entre as vítimas mortais, enquanto o total de feridos inclui 47 mulheres e 16 crianças.
O bombista suicida fez-se explodir à entrada de um centro de recenseamento eleitoral na zona oeste de Cabul, no bairro maioritariamente xiita de Dasht-e-Barchi.
O último atentado em Cabul reivindicado pelo Estado Islâmico ocorreu a 21 de Março e causou mais de 30 mortos e pelo menos 70 feridos.
Este foi o primeiro ataque em Cabul contra um centro de recenseamento eleitoral para as legislativas de 20 de Outubro, desde o início do processo de recenseamento, a 14 de abril. Mas dois outros centros no país foram alvo de ataques a semana passada.
Na sexta-feira, um 'rocket' atingiu um centro de recenseamento na província de Badghis (norte), matando um polícia e ferindo outro, depois de na terça-feira três funcionários da Comissão Eleitoral e dois polícias terem sido raptados na província de Ghor (centro). Foram libertados 48 horas depois.
Estas legislativas são as primeiras no Afeganistão desde 2010, tendo o último escrutínio, as presidenciais, decorrido em 2014.

Tempo

Multimédia