Mundo

Estados Unidos retiram apoio à declaração do G7

O Presidente norte-americano, Donald Trump, retirou sábado o apoio do seu país à declaração final da Cimeira do G7, numa briga comercial na qual chamou de desonesto ao primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, o anfitrião da reunião.

Fotografia: DR

“Baseado nas falsas declarações de Justin em sua conferência de imprensa e em que o Canadá cobra tarifas enormes aos nossos fazendeiros, trabalhadores e companhias, dei ordens aos nossos representantes para que não apoiem o comunicado”, escreveu Trump no Twitter, desde o avião que o levava a Singapura.
Por sua vez, a Alemanha acusou o Presidente americano de “destruir” uma grande parte da confiança entre os Estados Unidos e a Europa, ao remover, com um 'tweet', o apoio ao acordo final da cimeira do G7, no Canadá.
O ministro dos Negócios Estrangeiros da Alemanha, Heiko Maas, afirmou que “a Europa unida é a resposta para os Estados Unidos em primeiro lugar”, pois, assinalou, “pode-se rapidamente destruir uma incrível dose de confiança num 'tweet'”.
Por isso, Maas escreveu na rede social Twitter que se torna “ainda mais importante para a Europa manter-se unida e defender os seus interesses de forma ainda mais agressiva”.
Trump reiterou as ameaças de impor tarifas “aos carros que inundam o mercado americano”, numa decisão que aponta inicialmente para a Alemanha, um membro proeminente do G7.
O Presidente expressou-se de forma dura contra o primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau, que como anfitrião da Cimeira assumiu a condução das deliberações e divulgou os resultados do encontro.
Trump disse que Trudeau foi “submisso e dócil” durante as negociações para depois dizer na conferência de imprensa final que não havia sido pressionado.
Trump qualificou também Trudeau de “muito desonesto e fraco” e acrescentou que as recentes tarifas dos Estados Unidos ao aço e ao alumínio do Canadá foram uma resposta às que o Canadá impôs aos produtos lácteos dos Estados Unidos.
Os twites de Trump foram divulgados horas depois do fim da cimeira do G7, quando os participantes começavam a abandonar o Canadá.
O gabinete de Trudeau informou que as críticas do primeiro-ministro canadiano a Trump na conferência de imprensa foram apenas uma reiteração do que ele já lhe tinha  dito pessoalmente.
“Estamos concentrados em tudo o que conquistamos aqui na cimeira do G7”, disse um comunicado do gabinete de Trudeau divulgado no Twitter.
“O primeiro-ministro não disse nada que não tivesse dito antes - tanto em público como em conversas privadas com o Presidente” Trump, acrescentou.

Tempo

Multimédia