Mundo

Etiópia “exporta” desempregados

O Primeiro-Ministro etíope, Abiy Ahmed, anunciou ontem que a Etiópia vai enviar 50 mil trabalhadores para os Emirados Árabes Unidos (EAU) durante o ano fiscal de 2019/2020, numa tentativa de reduzir o desemprego no país.

Fotografia: DR

“A Etiópia está a planear medidas a curto prazo para reduzir o desemprego na Etiópia e para reagir ao aumento da procura de trabalho do nosso povo”, disse Abiy Ahmed no Parlamento, segundo a Reuters.
“Um dos programas a curto prazo é o envio de trabalhadores qualificados para o estrangeiro”, acrescentou o Chefe do Governo etíope, que tem procurado investimento externo desde que assumiu o cargo, em 2018.
O Primeiro-Ministro etíope afirmou ainda que há negociações para enviar até 200 mil trabalhadores para o estrangeiro nos próximos três anos. Os trabalhadores “exportados” receberão formações em vários sectores, incluindo a nível de condução e enfermagem, bem como salários mais altos e um aumento da sua capacidade, afirmou Abiy Ahmed. O responsável governamental etíope apontou que negociações semelhantes estão a ser debatidas com as autoridades do Japão e com países europeus. Segundo Abiy Ahmed, estes trabalhadores serão auxiliados por uma mão-de-obra jovem qualificada.

Tempo

Multimédia