Mundo

EUA disponíveis para ajudar Guiné-Bissau nas eleições presidenciais

O embaixador dos Estados Unidos para a Guiné-Bissau, Tulinabo Mushingi, disse hoje que o seu país está disponível para apoiar as autoridades guineenses na organização das eleições presidenciais, marcadas para 24 de novembro.

Guiné-Bissau vai realizar eleições presidenciais a 24 de Novembro.
Fotografia: DR

"Estamos a ver como manter o foco para ir até às eleições presidenciais, que vai incluir seleccionar vários candidatos, mas para vermos como os Estados Unidos podem apoiar este processo financeiramente, mas também apoiar moralmente o processo até atingirmos o dia 24 de novembro", afirmou Tulinabo Mushingi. O embaixador, que vive em Dacar, falava aos jornalistas depois de um encontro com o presidente guineense, José Mário Vaz. O diplomata explicou aos jornalistas que também está a medir os "problemas potenciais" que possam impedir o processo e salientou que não é possível fazer um novo recenseamento, porque não há tempo.

"Vamos pedir aos diferentes partidos políticos para respeitarem o que temos como positivo e continuar a avançar nesse sentido", salientou. O diplomata disse também saber que é preciso incluir 25.000 eleitores nos cadernos eleitorais, que ficaram de fora nas legislativas devido a problemas técnicos."Isso talvez seja um problema real e que pode ter soluções, mas não podemos começar do zero para atingir o nível do mês de dezembro", sublinhou.

Durante a sua visita a Bissau, o embaixador dos Estados Unidos reuniu-se com as autoridades guineenses, tendo ainda previsto para hoje encontros com os principais partidos políticos do país. A Guiné-Bissau vai realizar eleições presidenciais a 24 de novembro. O partido líder da oposição na Guiné-Bissau, o Movimento para a Alternância Democrática, e o Partido da Renovação Social têm pedido a realização de um novo recenseamento para as eleições ou uma actualização dos cadernos eleitorais.

 

Tempo

Multimédia