Mundo

EUA retiram-se de tratado nuclear com a Rússia

Os Estados Unidos da América (EUA) retiram-se esta sexta-feira, formalmente, do tratado para a não proliferação de armas nucleares de alcance intermédio, assinado com a Rússia ainda durante a Guerra Fria.

A retirada dos EUA deste acordo foi anunciada pelo presidente norte-americano num comício
Fotografia: DR

Em causa está ao tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermédio (conhecido pela sigla em inglês, INF), assinado em 1987 por Ronald Reagan e Mikhaïl Gorbachev.

O acordo aboliu o desenvolvimento e uso de mísseis de alcance entre os 500 e os 5500 quilómetros.

A retirada dos EUA deste acordo foi anunciada pelo presidente norte-americano num comício, em outubro do ano passado, e reiterada no início deste ano, com a justificação de que a Rússia não estava a respeitar os termos do tratado.

Em causa está a implantação, pelos russos, de um sistema de mísseis 9M729, que Washington diz ultrapassarem os 500 quilómetros, o que viola os termos do acordo de 1987. Alegações que foram acompanhadas pela NATO e desmentidas por Moscovo. Mas, em fevereiro deste ano, Vladimir Putin anunciou também a suspensão do tratado pela Rússia.

"Vamos dar uma resposta simétrica [aos EUA]. Os nossos parceiros norte-americanos anunciaram que suspendem a sua participação no tratado. Pois nós também o faremos", disse então Putin.

Mikhail Gorbachev, que assinou o tratado em 1987 em nome da União Soviética, já veio dizer que esta decisão tornará a política internacional "imprevisível" e "caótica".

Há cerca de um mês, o secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, já tinha afirmado à BBC que os mísseis russos constituem uma "clara violação" do tratado, têm capacidade nuclear, são extremamente móveis, de difícil detecção e podem atingir a Europa em minutos. "Isto é sério", avisou então - "O tratado INF foi uma pedra angular, durante décadas, no controlo de armas. E agora vemos o fim do tratado".


Rússia culpa EUA


A Rússia anunciou hoje o fim do Tratado de Desarmamento Nuclear (INF) culpando a “iniciativa” dos Estados Unidos, enquanto se espera que Washington declare oficialmente a saída do acordo alcançado em 1987.

“A 02 de agosto de 2019, por iniciativa norte-americana, termina a validade do tratado assinado no dia 08 de dezembro de 1987 em Washington pela União Soviética e pelos Estados Unidos sobre o fim dos mísseis de médio alcance”, refere um comunicado do Ministério dos Negócios Estrangeiros russo.

Anteriormente, a Rússia revelou que propôs aos Estados Unidos uma moratória sobre o fim do tratado. “Nós propusemos aos Estados Unidos e a outros membros da Aliança Atlântica considerarem a possibilidade do anúncio de uma moratória sobre as armas de médio alcance”, afirmava o vice-ministro russo dos Negócios Estrangeiros, Serguei Riabkov, numa entrevista difundida hoje pela agência TASS.

fim à crise desencadeada na década de 1980 com a instalação dos SS-20 soviéticos, visando capitais ocidentais. Entretanto, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, disse que “o mundo vai perder um incalculável travão” à guerra nuclear com o expirar do acordo de 1987 entre Washington e Moscovo.

Tempo

Multimédia