Mundo

Equador faz vigilância secreta a Assange

O Governo do Equador, que deu refúgio a Julian Assange, montou uma operação para proteger, mas também espiar, o fundador do Wikileaks, refere uma investigação do jornal The Guardian e do 'site' Focus Ecuador.

Fundador do portal Wikileaks teme prisão
Fotografia: DR

O australiano de 46 anos refugiou-se em Junho de 2012 na Embaixada do Equador em Londres, para não ser extraditado para a Suécia, onde era acusado de violação e de agressão sexual, o que ele negava.
Segundo o Guardian, que cita documentos dos serviços de informações equatorianos,  o Governo de Quito montou uma operação com um orçamento de cinco milhões de dólares (cerca de 4,5 milhões de euros) destinada, numa primeira fase, “a proteger” e “apoiar” Assange, mas que evoluiu para uma vigilância sistemática dos seus actos e gestos. Para executar a operação, o Governo do Equador contratou uma empresa internacional de segurança que alugou um apartamento perto da embaixada, onde filmava e monitorizava toda a actividade na embaixada.

Tempo

Multimédia