Lançado barco movido a hidrogénio


20 de Abril, 2017

Fotografia: Http://www.lifegate.it

Energy Observer, a primeira embarcação do mundo movida a hidrogénio, foi ontem  lançada às águas da baía de Saint-Malo, na costa atlântica francesa.

O “baptismo” marinho é a primeira etapa de uma viagem à volta do mundo que vai durar seis meses e lançará âncora em 105 portos de 50 países, com o objectivo de mostrar que é possível chegar a todos os lugares com o uso de energias renováveis.
O Energy Observer é um catamarã de aspecto futurista coberto por 130 metros quadrados de painéis solares, possui duas turbinas eólicas que alimentam os motores eléctricos e é dotado inclusive de um “smart kit” de 50 metros quadrados (uma vela semelhante a um paraquedas) que, quando as condições de vento forem favoráveis, contribui para a propulsão do barco.
O objectivo da empreitada não é a velocidade. O Energy Observer é a primeira embarcação autosuficiente com emissão zero de gases de efeito estufa e a primeira alimentada a hidrogénio auto-produzido e acumulado a bordo com a utilização de energias renováveis. Tudo na embarcação é movido pelo sol, o vento e a água.
Segundo os seus mentores, a novidade mais importante desse catamarã “hi-tech” é exactamente o hidrogénio, o sonho dourado de todas as fontes de energia, não apenas porque não produz detritos (a sua oxidação produz… água!), mas sobretudo pela densidade de energia que contém. Com um quilo de hidrogénio pode-se percorrer 100 quilómetros, e se utilizado para carregar um telefone celular, bastariam poucos segundos para fazê-lo funcionar durante uma semana inteira.

Laboratório flutuante

Os promotores do projecto reconhecem que existe ainda muito mar para navegar até que o uso do hidrogénio como combustível seja viável em alta escala. Mas o Energy Observer é um verdadeiro laboratório flutuante para experimentar toda a cadeia de produção do hidrogénio de modo eficiente e a baixo custo. Conseguir fazê-lo num ambiente hostil como é o ambiente marinho, navegando do Ártico ao Equador, é o grande desafio.
No comando do catamarã estão dois aventureiros unidos pela paixão que sentem pelo mar. O capitão Victorien Erussard, velejador profissional, vencedor de grandes regatas transoceânicas, e o líder da expedição, Jérôme Delafosse, explorador e documentarista do mar, mergulhador, apaixonado por tubarões (mergulhou várias vezes sem a protecção das jaulas de alumínio para fotografar tubarões-brancos).
Uma equipa de aproximadamente 50 cientistas, técnicos e marinheiros ocuparam-se de todos os preparativos em Saint Malo. Segundo Victorien Erussard, “O Energy Observer é um enorme desafio tecnológico. Somos uma espécie de 'Solar Impulse', uma versão marítima do avião feito em França. A ideia central é testar a sustentabilidade energética do navio, usar a natureza, as energias renováveis e fazer uma volta ao mundo de forma completamente autónoma”. O Energy Observer leva a bordo um cinegrafista para documentar toda a viagem. O projecto tem um custo orçado em cinco milhões de euros. O início da viagem de volta ao mundo do catamarã Energy Observer começa oficialmente no início de Julho próximo. Até lá, o barco e a sua tripulação vão passar por um período de cerca dois meses para treinamento e testes finais.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA