Mundo

Líder socialista tenta convencer a coligação

O Primeiro-Ministro espanhol, Pedro Sánchez, apresentou hoje uma proposta com 370 medidas para tentar convencer a coligação de extrema-esquerda Unidas Podemos a dar apoio parlamentar a um Executivo da exclusiva responsabilidade do Partido Socialista.

Fotografia: DR

O líder dos socialistas espanhóis considerou que se trata de um “programa comum, progressista aberto” a alterações e pode “servir de base a um acordo” de “Governo progressista”.
O principal destinatário da proposta é o Unidas Podemos, que exige fazer parte do Governo, enquanto o PSOE recusa esta possibilidade, preferindo apenas ter um acordo de apoio parlamentar com a coligação do partido de extrema-esquerda, uma solução “à portuguesa” como é denominada em Espanha.
Na apresentação pública na qual participaram a quase totalidade dos ministros do actual Governo de gestão, Pedro Sánchez ofereceu ao Unidas Podemos “altas responsabilidades” em instituições de Estado, mas com os membros da coligação de extrema-esquerda a continuarem fora do Conselho de Ministros.
Sánchez  propôs um encontro com o Unidas Podemos, amanhã para iniciar o “trabalho” da formação de um “Governo progressista”, repetiu.
Entre as medidas avançadas, os socialistas comprometem-se a derrogar “os aspectos mais lesivos da reforma laboral”, garantir constitucionalmente a actualização da reforma com o aumento da inflação e uma reforma penal para assegurar mais direitos para as mulheres.

Tempo

Multimédia