Mundo

Moedas geram guerra entre Roma e a Igreja

A Câmara de Roma decidiu que os cerca de 1,5 milhões de euros que todos os anos são atirados às águas da fonte e que iam para a Caritas vão agora ajudar na manutenção dos monumentos da cidade. A Igreja fala em ataque aos pobres.

Fotografia: Dr

As moedas que os turistas lançam à Fontana di Trevi, um dos rituais mais populares para quem visita Roma, ameaçam envenenar as relações entre dois vizinhos. A medida da presidente de Roma, Virginia Raggi, que em 2016 conquistou a Câmara para o movimento populista Cinco Estrelas, deve entrar em vigor no início de Abril, embora os bispos católicos ainda tenham esperança em reverter a situação.“Não estávamos à espera desta decisão", admitiu o director da Caritas, uma organização católica, ao jornal da conferência episcopal italiana. 

Tempo

Multimédia