Mundo

Ex-estadista Konan Bedié apela à desobediência civil

O ex-Presidente ivoiriense, Henri Konan Bédié, apelou, ontem, à desobediência civil, em resposta à candidatura do actual Chefe de Estado, Alassane Ouattara.

Ex- Chefe de Estado (ao centro) é contra a decisão de Ouattara
Fotografia: DR

Para o também candidato às próximas presidenciais, segundo a AFP, a desobediência civil é a melhor resposta para enfrentar Ouattara e o abuso da autoridade, embora o Governo proíba esse acto cívico. Nestas presidenciais, a Comissão Eleitoral excluiu 40 candidatos, com o argumento de que a candidatura de Ouattara repousa sobre as modificações da Constituição aprovada em 2016.

Os partidários do actual Chefe do Estado que se reuniram domingo, em Paris, consideram que a nova Constituição invalidou as eleições presidenciais passadas, permitindo ao mesmo candidatar-se pela primeira vez na terceira República, e não para um terceiro mandato como o entendem os adversários.

Entre os excluídos constam Laurent Gbagbo, 75 anos, Presidente de 2001 a 2010, e o antigo Primeiro-Ministro e chefe da rebelião Forças Novas, Guillaume Soro, de 47 anos. Ambos, no exílio, na Europa, foram representados na reunião pelos seus substitutos. Em Março último, Ouattara, 78 anos, declarou que não seria candidato às próximas presidenciais, mas, recuou quatro meses depois, por causa da morte, por doença do seu delfim, o Primeiro-Ministro Amadou Gon Coulibaly.

Em Agosto, a violência dos protestos contra a candidatura de Ouattara causaram 15 mortos, lembrando as mortes causadas durante as eleições de 2010, que culminou com o derrube de Gbabo, e na morte de três mil pessoas, entre civis e militares. 

Bedie, Gbagbo e Ouattara, com mais de 75 anos, dominaram a política ivoiriense durante 25 anos. As suas idades contrastam com a extre-ma juventude da população da Côte d'Ivoire, onde 40 por cento da população tem menos de 15 anos.

Tempo

Multimédia