Mundo

Ex-Presidente condenada a mais oito anos de prisão

A ex-Presidente da Coreia do Sul, Park Geun-hye, foi condenado ontem a mais oito anos de prisão por obter financiamento ilícito do serviço nacional de inteligência e interferir numa eleição, sentença que se soma a que ela já cumpre pelo caso Rasputina.

Park Geun-hye já cumpre uma outra condenação
Fotografia: DR

O Tribunal do Distrito Central anunciou a nova sentença contra a ex-Presidente, após um julgamento por diversos crimes que causaram a destituição de Park Geun-hye e a sua prisão no caso de corrupção.
Em Abril, já havia sido condenada a 24 anos de prisão por diversos crimes cometidos dentro da trama de corrupção e tráfico de influência feita com a sua amiga Choi Soon-sil, conhecida como a Rasputina, num escândalo que obrigou à sua saída do poder em Março do ano passado.
A nova sentença refere que a ex-Presidente é culpada de ter recebido cerca de 3,5 biliões de wons (cerca de 2,64 milhões de euros) entre 2013 e 2016 do Serviço Nacional de Inteligência sul-coreano (NIS), embora considera que não ficou provado que Park Geun-hye oferecesse favores em troca de dinheiro.
Além disso, ela foi acusada em 2016 de interferir na indicação de candidatos do seu partido, Saenuri, para as eleições parlamentares que aconteceram no mesmo ano.
A ex-Presidente vai pagar também uma multa.

Tempo

Multimédia