Mundo

Fernando Haddad condenado a quatro anos e meio de prisão

O ex-prefeito de São Paulo e antigo candidato às presidenciais brasileiras, Fernando Haddad, foi condenado a quatro anos e seis meses de prisão, em regime semiaberto, por recursos financeiros não declarados durante a eleição municipal de 2012. O ex-prefeito foi condenado por alegado crime de "caixa dois" - expressão que se refere a recursos financeiros não contabilizados e não declarados aos órgãos de fiscalização - de 2,6 milhões de reais da empreiteira UTC Engenharia.

Fotografia: DR

De acordo com a imprensa brasileira, a decisão foi proferida na segunda-feira pelo juiz Francisco Shintate, da Justiça eleitoral de São Paulo, e foi publicada hoje no Diário da Justiça.
Na sentença, o juiz absolveu Haddad, candidato do Partido dos Trabalhadores (PT), de outras acusações, como associação criminosa e branqueamento de capitais. A denúncia foi feita pelo Ministério Público em Setembro de 2018, que apontou a Haddad a suspeita de pedir 2,6 milhões de reais à construtora UTC Engenharia para pagamento de dívidas de campanha, o que incluía despesas com material gráfico. De acordo com a denúncia, entre Abril e Maio de 2013, o então tesoureiro nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), João Vaccari Neto, pediu recursos ao ex-presidente da UTC Ricardo Pessoa. O promotor eleitoral, Luiz Henrique Dal Poz, afirmou, na acusação, que Haddad "deixou de contabilizar valores, bem como utilizou notas falsas para justificar despesas". As verbas teriam sido transferidas pela empreiteira directamente às gráficas de Francisco Carlos de Souza, ex-deputado estadual do PT. Num comunicado, a que o jornal Folha de S.Paulo teve acesso, a defesa de Fernando Haddad informou que vai recorrer da decisão.

Tempo

Multimédia