Mundo

Filho de Armando Guebuza fica em prisão preventiva

O Tribunal Judicial de Maputo decretou, ontem à tarde, a prisão preventiva a Ndambi Guebuza, um dos filhos do ex-Presidente moçambicano Armando Guebuza, no âmbito da investigação às dívidas ocultas do Estado, disse ao Jornal de Angola fonte diplomática na capital moçambicana.

Fotografia: DR

De um total de nove detidos desde quinta-feira pelas autoridades moçambicanas, esta é a segunda pessoa próxima do antigo Chefe de Estado a ver decretada a prisão preventiva, depois de Inês Moiane, que foi secretária pessoal de Guebuza.
Ndambi entende que a sua detenção tem motivações políticas, num ano eleitoral em que a Frente de Libertação de Moçambique (Frelimo, no poder) tem que apresentar resultados, refere a imprensa moçambicana, que cita o seu advogado, Alexandre Chivale. “Se o objectivo é sacrificar a família Guebuza por causa das eleições, que eu seja o último da família a ser sacrificado”, disse Chivale, citando as palavras do seu cliente durante o interrogatório. De recordar que Moçambique tem eleições gerais marcadas para 15 de Outubro.
Entre os nove detidos até hoje, apenas a Elias Moaine, sobrinho da secretária pessoal do antigo Chefe de Estado, foi concedida a liberdade, mediante uma caução de 15 mil dólares.
Fontes ligadas ao processo em Moçambique admitem que novas detenções aconteçam nos próximos dias, dentro da lista de 18 arguidos revelada pela Justiça moçambicana em Janeiro, ao mesmo tempo que decorre a apreensão de vários bens das pessoas supostamente implicadas neste processo.

Tempo

Multimédia