Mundo

Forças do Boko Haram voltam a atacar Diffa

Novas trocas de tiros opuseram ontem as forças governamentais nigerinas e combatentes jihadistas, próximo da vila de Diffa, capital do Sudoeste do Níger, território fronteiriço com a Nigéria, noticiou a AFP, citando uma fonte militar.

Fotografia: DR

“Combatentes do Boko Haram atravessaram a ponte de Doutchi, aproximaram-se do posto militar nigerino, com o objectivo de surpreender as tropas governamentais, indicou uma fonte do Ministério da Defesa.

A 3 de Maio, combatentes do mesmo grupo atacaram a localidade, matando dois militares governamentais, causando três feridos, segundo o balanço do Exército, que se refere à morte de 50 rebeldes, abatidos em Toumour, a 45 quilómetros de Diffa.

As acções dos “terroristas” foram reivindicadas pelo grupo Estado Islâmico na África Ocidental (Iswap), saído de uma cisão do Boko Haram, e filiou-se ao Estado Islâmico. Segundo a ONU, Diffa alberga 120 mil refugiados nigerianos e milhares de deslocados.

No final da última semana, as Forças Armadas Nigerinas abortaram um ataque do Boko Haram na mesma cidade.

“Foi uma audaciosa tentativa de infiltração do Boko Haram, vindo da Nigéria, vigorosamente rechaçado pelas Forças de Defesa e Segurança, disse à AFP, Lawan Boukar, habitante de Diffa.

Uma fonte de Segurança confirmou o ataque, sem mais detalhes, enquanto o Ministério da Defesa prometeu publicar um comunicado para o efeito.
Em 2015, intensos combates opuseram as Forças Armadas Nigerinas aos jihadistas, em torno da ponte de Doutchi, que liga o Níger à Nigéria, no Sul de Diffa.

O ponto, próximo de Damasak, é uma localidade situada a 30 quilómetros, a Sul de Diffa. Damasak foi tomada, em 2014, pelo Boko Haram, depois de violentos combates com o Exército nigeriano, para depois ser reconquistada pelos Exércitos do Chade e Níger, após ásperos combates.

O ataque aconteceu depois de uma ofensiva terrestre e aérea das Forças Armadas chadianas, em Abril, que culminou com a expulsão, a morte de mil jihadistas e de 52 militares governamentais.

No fim de Março último, o Ministério da Defesa anunciou ter morto Ibrahim Fakoura, um alto responsável do Boko Haram, durante uma operação, nas ilhas do Lago Chade (Sudeste), bastião dos islamistas nigerianos.

De igual modo, no fim de Abril, o ministro nigerino da Defesa, Issoufou Katambé, declarou à AFP, que operações estavam em curso na zona do Lago Chade”.

Tempo

Multimédia