Mundo

Forças especiais combatem a imigração ilegal nos EUA

A Administração de Donald Trump vai colocar agentes de elite das Unidades Tácticas de Patrulha de Fronteiras (Border Patrol Tactical Unit - BORTAC) em várias cidades para colaborar com os Serviços de Imigração na detenção e deportação de imigrantes sem documentos, informou "The New York Times" na sexta-feira.

Forças especiais vão ser deslocadas para as “cidades santuário”
Fotografia: Dr

Essa operação vai ocorrer nas chamadas "cidades santuário" americanas, que têm uma política de tolerância em relação aos imigrantes: Nova Iorque, Detroit, Chicago, Atlanta, Houston, São Francisco, Los Angeles, New Orleans e Newark (Nova Jérsia).
Os agentes do BORTAC serão destacados "com o objectivo de melhorar a integridade do sistema de imigração, manter a segurança pública e fortalecer a nossa segurança nacional", justificou Lawrence Payne, porta-voz do serviço de Protecção de Fronteiras.
"Com equipamentos de topo e formação especial, como as das Forças Especiais, incluindo atiradores, estes agentes realizam normalmente operações de alto risco, visando indivíduos que se sabe serem violentos, muitos deles com extensos registos criminais. A acção desta unidade ocorre geralmente em zonas mais difíceis da fronteira com o México e pode envolver a invasão de locais usados no contrabando de drogas e armas", explica "The New York Times" sobre as BORTAC, sublinhando que este tipo de unidades não costuma agir em contextos urbano.
O potencial de violência é elevado, comentou o ex-comissário do CBP Gil Kerlikowske ao jornal, chamando a implantação de "um erro significativo": "Se fosse chefe de Polícia e tivesse que agir num crime relativamente menor, não enviaria a equipa da SWAT", disse Kerlikowske. "E o BORTAC é a equipa da SWAT. Eles são treinados para missões muito mais perigosas do que isto."

Reacções

As reacções não se fizeram esperar. "Li este artigo várias vezes", disse Ali Noorani, do Fórum Nacional de Imigração. "É inacreditável o modo como esta acção comprometerá a segurança pública. Inacreditável".
"Oficiais treinados nas tácticas da equipa da SWAT enviados para ajudar nas prisões de imigração comuns nas principais cidades distantes da fronteira", twittou Cecilia Muñoz, vice-presidente do grupo de reflexão New America. "Trump está a usar tácticas de estilo militar, porque ele tem uma disputa política com cidades de cujas políticas ele não gosta".
Trump há muito que vem criticando as cidades-santuário por resistirem a suas políticas de imigração e por servirem como refúgios seguros para imigrantes ilegais. Na segunda-feira passada, o procurador-geral William Barr anunciou que o Departamento de Justiça iria iniciar uma "escalada significativa" contra as cidades-santuário, inclusivamente interpondo acções judiciais contra as cidades que não adoptem ou impeçam a aplicação de legislação federal.

Tempo

Multimédia