Mundo

Furacão Michael ganha nível de muito perigoso

Os Estados Unidos voltam a ser ameaçados por um furacão de grande intensidade, mais precisamente o estado da Flórida, no sul do país. Segundo o National Hurricane Center, o Michael ganhou mais força durante a sua aproximação à Flórida e a sua categoria subiu para o nível 4, sendo considerado um furacão extremamente perigoso.

Pela categoria que atingiu pode ser o mais devastador dos últimos tempos nos Estados Unidos
Fotografia: DR

Nesta altura, o Michael é considerado a tempestade mais forte a atingir os Estados Unidos. Quando o furacão Florence atingiu o estado da Carolina do Norte, a sua categoria já tinha sido reduzida para o nível 1, suficiente para matar dezenas de pessoas e provocar muitos estragos. Além disso, será o furacão mais forte a atingir a Flórida desde o Dennis em 2005.
De acordo com o The New York Times, previa-se que o furacão atingisse a costa da Flórida por volta das 14 horas locais (19 horas em Angola). O National Weather Service alerta para os fortes ventos do Michael, que podem chegar aos 210 quilómetros por hora e para chuva muito intensa ao longo da zona norte da costa do Golfo. Assim que atingir a costa, o Michael deve começar a perder força mas o perigo mantém-se. Tal como sucedeu com o Florence, uma das principais preocupações prende-se às consequências das esperadas cheias.
Estima-se que as áreas de Panhandle e Big Bend na Flórida, o sul do Alabama e o sul da Geórgia sejam atingidos por mais de 30 centímetros de chuva. O sul da Virgínia e algumas partes da Carolina do Norte e da Carolina do Sul, que ainda recuperam do impacto do Flo-
rence, devem ser atingidos por cerca de 15 centímetros de chuva.
O governador da Flórida, Rick Scott, declarou o estado de emergência e aconselhou as pessoas a não permanecerem em casa. “Está previsto que o furacão Michael seja a tempestade mais destrutiva a atingir a Flórida em décadas. Vocês não se podem esconder da escalada desta tempestade, por isso vão-se embora se for dada a ordem de evacuação.”
Entretanto, as autoridades da Flórida pediram a cerca de 375 mil pessoas para saírem de casa antes do “rápido fortalecimento” do furacão.
Alimentada pelas águas quentes do Golfo do México, a tempestade evoluiu para um furacão de categoria 4 antes de entrar em terra.
O governador do Estado classificou o Michael como “um furacão monstruoso”, enquanto Trump declarou  estado de emergência.

Tempo

Multimédia