Mundo

Guatemaltecos pedem renúncia do Presidente por “incapacidade”

Milhares de guatemaltecos com tochas acesas exigiram sábado a renúncia imediata do Presidente do país, Jimmy Morales, por causa da “incapacidade” de resolver a emergência provocada pela erupção do vulcão de Fogo, que causou pelo menos 110 mortos e 1,7 milhão de afectados.

Violenta erupção vulcânica provoca mortes e prejuízos
Fotografia: DR


Durante uma passeata pacífica que saiu do Campus Universitário para o Palácio Presidencial, no centro da capital, os manifestantes expressaram solidariedade com as vítimas e fizeram fortes críticas ao Governo de Morales, por não levar ajuda aos afectados pela violenta da erupção registada no dia 3 de Junho.
Os manifestantes guatemaltecos exigiram justiça para com as vítimas da tragédia, mas principalmente a “cabeça” do Presidente, por não conseguir enfrentar a emergência.
“Um Governo sem cabeça e sem capacidade, enterra o povo com impunidade”, gritaram os universitários e os activistas sociais durante a caminhada de protesto.
Um estudante da Faculdade de Direito da Universidade de San Carlos (USAC) afirmou que o número de desaparecidos na catástrofe revelado pelas autoridades “não é real”.
“Se em 2014 haviam 8.500 habitantes, como é possível que digam que estão desaparecidas 197 pessoas (...) Que renuncie o Presidente porque não tem capacidade para enfrentar a emergência. A Guatemala é muita gente para ele”, afirmou Héctor Gramano à Agência Efe.
A violenta da erupção do vulcão de Fogo aconteceu no domingo passado e afectou, principalmente, os departamentos (províncias) de Sacatepéquez, Escuintla e Chimaltenango.
Até agora as autoridades guatemaltecas recuperaram 110 corpos, avaliam em 197 os desaparecidos e em mais de 1,7 milhão os afectados pela tragédia.

Tempo

Multimédia