Mundo

Guterres considera "imperativo" redesenhar um mundo mais equilibrado

O secretário-geral da ONU, António Guterres, declarou hoje (3) que a comunidade internacional deve redesenhar e reequilibrar as suas economias e sociedades após uma pandemia que "expôs a fragilidade mundial".

Secretário-geral da ONU, António Guterres
Fotografia: DR

O ex-primeiro-ministro português afirmou que após forçar a paralisação de países e economias inteiras, o vírus expôs problemas globais "que não se limitam aos sistemas sanitários, mas também a alterações climáticas descontroladas, níveis insustentáveis de desigualdade e um ciberespaço anárquico". Neste contexto, o mundo necessita de "reequilibrar o investimento em ciência e tecnologia e avançar com a transição para zero emissões" de gases que causam o aquecimento global, assinalou Guterres.

A directora-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), Kristalina Georgieva, acrescentou, na mesma apresentação, que "a melhor homenagem que pode ser feita aos que perderam as vidas nesta pandemia é um mundo mais verde, inteligente e justo". Georgieva recordou que, segundo cálculos do FMI, pelo menos 170 países vão terminar o ano com as economias mais reduzidas do que estavam ao começar 2020".

 O fundador e presidente executivo do fórum, Klaus Schwab, salientou, por sua vez, a necessidade de debater as grandes mudanças globais em Davos. "Permanecer passivo vai levar a um aumento de tendências atuais como a polarização, o nacionalismo, o racismo, em suma, o descontentamento crescente e o conflito social", afirmou.

 

Tempo

Multimédia