Mundo

Guterres preocupado com armas na Líbia

O Secretário-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, declarou-se “profundamente preocupado” com informações segundo as quais as armas continuam a entrar na Líbia para serem utilizadas nos confrontos pelo controlo de Tripoli.

Fotografia: DR

Estes confrontos, segundo a agência de notícias Efe, são fomentados pela introdução de armas por várias vias, incluindo pelo mar, disse António Guterres quando apresentava ao Conselho de Segurança um relatório sobre a operação “Sofia”, lançada pela União Europeia (UE) para controlar os navios ao largo das costas líbias, a fim de garantir o respeito pelo embargo aquele país.
A operação “Sofia” foi lançada com base numa resolução do Conselho de Segurança, tomada em 2016. As autoridades dos portos e das alfândegas líbios, formadas pela UE, confiscaram já este ano carros blindados no porto de Misratah (220 quilómetros a leste de Tripoli) e no porto de Khumus (120 quilómetros a leste da mesma cidade).
O porta-voz do Exército Nacional líbio, o general Ahmed Mismeri, anunciou esta semana que armas iranianas e drones turcos acabavam de chegar às mãos das milícias armadas de Tripoli. Em entrevista à cadeia árabe “Sky News” Mismeri acrescentou que a utilização de algumas técnicas necessitam de uma longa formação, o que prova que estrangeiros supervisionam a introdução de drones na Líbia.
O procurador-geral líbio, Sadik Sour, ordenou este mês a apreensão de um navio iraniano no porto de Misratah por constar da lista das sanções norte-amaericanas.

Tempo

Multimédia