Mundo

Guterres tem encontro emocionante na Beira

O Secretário-Geral da ONU, António Guterres, viveu ontem um momento emocionante na cidade da Beira, a segunda mais importante de Moçambique, quando visitou uma escola, sem tecto, com centenas de crianças afectadas pelo furacão Idai.

Secretário-Geral da ONU, António Guterres
Fotografia: DR

Guterres perguntou para uma turma quantos tinham as casas destruídas pelo furacão. Quase todos levantaram a mão. O líder da ONU encontrou, ainda, um grupo de pessoas com deficiências que sobreviveu ao desastre. Ouviu os testemunhos de uma pessoa com albinismo, amputada, paraplégica, deficiente auditiva, e a mãe de uma criança que vive com uma deficiência mental.
No final, disse: “a nossa obrigação é fazer tudo para ajudar, sobretudo as pessoas mais vulneráveis, que sofreram mais com esta tragédia”. Guterres prometeu que a escola seria reconstruída e que ficaria “muito bonita.” Também explicou o que eram as Nações Unidas. “É um sítio onde se juntam todos os países para tentar resolver os problemas do mundo. Às vezes conseguem, às vezes não.”
Guterres seguiu, depois, para o campo de Mandruzi, onde vivem mais de 375 pessoas. O local está situado a 40 quilómetros da Beira. O Chefe da ONU acompanhou relatos de famílias que expressaram alegria por estar no campo, por se sentirem mais seguras do que nos locais onde viviam.
O Secretário-Geral também visitou uma escola, onde as crianças cantaram para “o Titio Guterres” e mostraram o que estão a aprender. No espaço seguro para crianças e mulheres, foi aberta uma excepção para permitir a entrada de um homem, o Secretário-Geral da ONU.

Tempo

Multimédia