Mundo

Imigrantes desterrados para uma ilha isolada

Víctor Carvalho

Numa decisão que pretende ser, assumidamente, um sinal de que o país está contra a migração, a Dinamarca decidiu desterrar para uma ilha remota, todas as pessoas que tenham visto recusado o seu pedido de asilo no país, ou que tenham antecedentes criminais.

A decisão do Governo dinamarquês viola os direitos humanos
Fotografia: DR

O deputado Martin Henriksen, do Partido Popular Dinamarquês, uma formação que apoia o Governo de centro-direita, disse que reconhece a possibilidade dessa decisão violar o direito internacional, mas acrescentou que o seu partido “não se importa com convenções”.
A ilha de Lindholm, para onde os migrantes e as pessoas com cadastro criminal serão enviadas, foi até ao Verão passado cenário de experiências laboratoriais desencadeadas pelo Instituto de Veterinária do Estado, para investigar doenças animais contagiosas.
O plano já foi devidamente adoptado pelo Governo e pelo partido de Henriksen, com os necessários noventa votos maioritários. A partir de agora, o Governo dinamarquês vai proceder à descontaminação da ilha, para depois erguer as instalações capazes de alojar 100 pessoas a partir de 2021.

Tempo

Multimédia