Mundo

Índia acusa Paquistão de apoiar terroristas

A ministra das Relações Exteriores da Índia, Sushma Swaraj, criticou duramente o Paquistão na ONU, onde disse que o país vizinho fornece ao Mundo terroristas, enquanto a Índia “produz” médicos e engenheiros de primeiro nível.

Exército paquistanês rejeita apoio a extremistas na região
Fotografia: Ahmad Al Rubaye |afp

“Por que hoje a Índia é reconhecida como uma superpotência da tecnologia de informação mundial e o Paquistão apenas é reconhecido como uma proeminente fábrica de exportação do terror?”, questionou Sushma Swaraj diante da Assembleia-Geral da ONU.
“Formamos académicos, doutores, engenheiros. O que vocês produziram? Produziram terroristas”, acrescentou. A ministra indiana falou em resposta ao discurso do primeiro-ministro paquistanês Shahid Khaqan Abbasi, que acusou a Índia de “força massiva e indiscriminada na região da Caxemira”.
Nos últimos anos, as relações entre o Paquistão e a Índia ficaram mais tensas, principalmente em Caxemira, disputada pelos dois países.
As duas nações nucleares enfrentaram três guerras desde que conquistaram a independência da Grã-Bretanha em 1947, duas delas por esse território disputado na região do Himalaia.
Depois do discurso de Shahid Khaqan Abbasi na quinta-feira, um diplomata indiano emitiu a sua opinião na Assembleia-Geral da ONU e acusou o Paquistão de ser um Estado “terrorista”.
A Índia acusa o país vizinho de treinar, armar e infiltrar terroristas em Caxemira. O Paquistão recusa as acusações. O Paquistanês afirmou que seis pessoas foram  mortas por indianos. 

Tempo

Multimédia