Mundo

Irão armazena urânio mais que o permitido

O Irão indicou ontem que ul-trapassou entre 60 e 70 quilogramas o limite de 300 quilogramas das reservas de urânio enriquecido fixado no acordo nuclear de 2015.

Teerão ignora apelos para manter níveis de produção de urânio
Fotografia: DR

Numa cerimónia nas instalações nucleares em Fordow, o porta-voz da Agência de Energia Atómica do Irão (AEAI), Behruz Kamalvandi, disse que “actualmente a quantidade de urânio enriquecido do Irão está entre os 360 e os 370 quilogramas.”
“Agora, temos uma boa capacidade de produção e a quantidade aumenta com rapidez”, adiantou o porta-voz, citado pela agência oficial Irna.
A AEAI anunciou, no início de Julho, que tinha ultrapassado os 300 quilogramas de reservas permitidos pelo pacto e que tinha começado a enriquecer urânio acima do nível estipulado (3,67 por cento) no acordo internacional, abandonado em Maio de 2018 pelos Estados Unidos, que restabeleceu as sanções ao Irão. Um ano depois da saída unilateral, o Irão anunciou que deixaria de cumprir alguns dos compromissos devido à incapacidade dos restantes signatários (Reino Unido, França, Alemanha, Rússia e China) em contrariarem as sanções norte-americanas, permitindo-lhe beneficiar do acordo.
As autoridades iranianas prevêem deixar de cumprir outras das obrigações do pacto nuclear em Setembro, se os Estados que ainda fazem parte do acordo não garantirem as exportações de petróleo e transacções bancárias do Irão.

Aviso de Rouhani
O Presidente iraniano voltou a referir que navegar no Estreito de Ormuz pode não ser seguro, um dia depois de o Reino Unido ter anunciado que se vai juntar aos EUA numa “missão de segurança marítima internacional” no Golfo Pérsico.
A tensão entre o Irão, os EUA e o Reino Unido continua a escalar e o Presidente iraniano Hassan Rouhani, voltou a alertar para o que pode esperar de Washington e Londres em caso de conflito.

Tempo

Multimédia