Mundo

Jornalista morta a tiro na Irlanda do Norte

Uma jornalista de 29 anos morreu na noite de quinta-feira na sequência de um tiroteio em Londonderry, na Irlanda do Norte, que está a ser investigado pela Polícia como um "incidente terrorista."

As autoridades culpam o grupo “Novo Ira” pelo incidente
Fotografia: DR

Chamava-se Lyra McKee, era editora no site Mediagazer e foi atingida a tiro durante um motim no bairro de Creggan. Vários actos violentos marcaram a noite de quinta-feira na cidade de Derry, com  lançamento de bombas de gasolina contra carros da Polícia e um tiroteio que alvejou  mortalmente a jovem jornalista.
Na origem do motim esteve uma operação policial em várias residências nos bairros de Mulroy Park e Galliagh. A Polícia alertou que os grupos dissidentes prepararam vários ataques na cidade durante a semana da Páscoa.
As operações de busca serviam para detectar eventuais armas que pudessem ser usadas, mas estas não foram bem aceites e como consequência desencadeou-se um motim no bairro de Creggan, uma área predominantemente nacionalista. Dezenas de explosivos foram lançados contra os agentes e dois carros foram incendiados, segundo a imprensa local.As autoridades irlandesas avançaram que Lyra morreu depois de ter sido atingida por uma bala perdida durante os confrontos entre o ‘Novo IRA’, uma facção que nunca aceitou o acordo de paz e a entrega das armas alcançado em 2005, e a Polícia em Derry.
A Polícia abriu uma investigação na qual aponta dissidentes republicanos como possíveis autores do crime. “É provável que o Novo IRA esteja por detrás” desta morte, afirmou o inspector da Polícia, Mark Hamilton, acrescentando que a Polícia está “a tratar do caso como um incidente terrorista.”
“Infelizmente, posso confirmar que depois dos tiroteios desta noite, em Creggan, morreu uma mulher de 29 anos”, disse Mark Hamilton, citado num comunicado divulgado no Twitter.
O agente disse que, por volta das 23h00, um homem começou a disparar contra a Polícia e Lyra McKee “ficou ferida, tendo sido retirada da zona num carro policial até ao hospital, mas, infelizmente, acabou por falecer,”

Tempo

Multimédia