Mundo

Jornalista saudita foi decapitado

O jornalista saudita Jamal Khashoggi foi torturado antes de ser  decapitado no consulado do seu país em Istambul, revelou o jornal Yeni Safak, que citou uma gravação de áudio dos factos, segundo a agência de notícias EFE.

Fotografia: DR

Khashoggi, crítico do Governo saudita, compareceu ao consulado no dia 2 de Outubro para cumprir os trâmites burocráticos para o seu casamento. Desde então, não há notícias sobre o seu paradeiro. O jornal Yeni Safak refere que teve acesso a gravações de áudio e informa que Khashoggi foi torturado durante um interrogatório: os agentes sauditas cortaram os dedos da vítima. “Ele foi decapitado”, afirma o jornal, ligado ao Governo turco, que não revela como teve acesso às gravações.
As autoridades turcas acusam Riade de ter ordenado o assassinato do jornalista a uma equipa enviada ao consulado. O Governo saudita nega. Nos últimos dias, alguns meios de comunicação informaram sobre a existência de gravações de áudio e vídeo que provam que o jornalista foi “interrogado, torturado e assassinado” dentro do consulado.

Tempo

Multimédia