Mundo

Jovem sul-africano apanha perpétua

Um sul-africano, de  23 anos, acaba de ser condenado a prisão perpétua por em Janeiro de 2015 ter morto a família inteira com um machado.

Henri van Breda condenado por ter morto a família inteira
Fotografia: DR

Henri van Breda, recusou assumir a autoria da morte dos pais e de um irmão, naquilo que o tribunal disse ter sido um verdadeiro “banho de sangue”.
Durante a audiência, que decorreu num tribunal de Western Cape, o assassino, apesar da evidência das provas, recusou assumir o acto ou mostrar arrependimento, o que levou o juiz que o condenou, Siraj Desai, a dizer que ele era uma pessoa “insensível e incapaz de conviver em comunidade”.
O caso, que  chocou a sociedade sul-africana, ocorreu na casa onde residia a família nos arredores de Durban, e foi protagonizado por um jovem que na altura tinha 20 anos.
Henri van Breda usou, para assassinar a família, um machado com o qual acabou com a vida do pai, de 54 anos, a mãe, de 55, e de um irmão, de 22.
O jovem, que durante o julgamento entrou em várias contradições, disse ser inocente e que o responsável era um homem que invadiu a casa e depois fugiu sem deixar rasto.
O tribunal não acreditou na sua versão, até por não haver sinais da presença de qualquer outra pessoa na residência, e acusou-o não só dos crimes como também de tentativa de impedir o trabalho de justiça ao apresentar diferentes versões da história.
O jovem réu tem agora até ao próximo dia 27 para apresentar recurso.

Tempo

Multimédia