Mundo

Jovens falam do “milagre” após deixarem o hospital

Os 12 jovens que passaram mais de duas semanas presos numa caverna com o seu treinador de futebol no norte da Tailândia disseram ontem em conferência de imprensa que chegaram a cavar alguns metros em busca de uma saída antes de serem localizados pelos mergulhadores.

Médicos consideram que jovens estão bem fisicamente
Fotografia: DR

Os adolescentes falaram para a comunicação social depois de receberem alta do hospital onde se encontravam a recuperar do trauma vivido.
Um dos rapazes revelou que eles chegaram a cavar “três ou quatro metros” em busca de uma saída da gruta nos nove dias que transcorreram antes de os mergulhadores britânicos os terem encontrado numa cavidade situada a quatro quilómetros da entrada da caverna.
Um outro rapaz descreveu como “milagroso” o momento em que foram localizados.
Durante os nove dias, os jovens ficaram sem comer e beberam a água que escorria pelas paredes da caverna, explicou o treinador, Ekapol Chantawong, que também ficou preso na gruta.
Outros rapazes afirmaram que não sentiram fome num primeiro momento, mas que depois de 48 horas começaram a sentir-se cansados e fracos.
Os 12 jovens, com idades entre 11 e 16 anos, e Ekapol, de 25, tentavam explorar a gruta durante uma excursão no passado dia 23 de Junho e ficaram presos depois da caverna ser inundada pelas chuvas de monção até o resgate que teve lugar nos dias 8, 9 e 10 deste mês.
A operação de resgate, que envolveu mais de mil pessoas, incluindo mergulhadores estrangeiros, foi acompanhada com grande interesse em todo o mundo.

Tempo

Multimédia