Mundo

Julgamento do PM de Israel retoma em Janeiro

O processo contra o Primeiro-Ministro israelita, Benjamin Netanyahu, terá audiências três vezes por semana, a partir de Janeiro, decidiu, ontem, um tribunal de Jerusalém.

Um judeu que, segundo dizem, tem sabido liderar o seu país de maneira exemplar
Fotografia: DR

Não ficou imediatamente claro se o Primeiro-Ministro israelita, Benjamin Netanyahu, será obrigado a estar presente em todas as audiências, embora alguns meios de Comunicação Social israelitas tenham relatado que sim.

De acordo com a agência Associated Press, a decisão do tribunal veio após a segunda audiência do julgamento, uma deliberação processual que estabelece o ritmo para o resto dos procedimentos.

Netanyahu, que não esteve presente, ontem, em tribunal, é acusado de fraude, quebra de confiança e aceitação de subornos numa série de escândalos - nos quais é acusado de ter recebido presentes luxuosos de amigos milionários e trocado favores com magnatas dos media por uma cobertura mais favorável de si mesmo e da sua família.

O Primeiro-Ministro nega ter cometido as irregularida-des e diz que as acusações são uma caça às bruxas orquestrada pelos média.

O julgamento começou em Maio, após um atraso de dois meses, devido a preocupações com o coronavírus. O recomeço acontece num momento em que Netanyahu enfrenta um descontentamento crescente pela forma como lida com a crise sanitária e as suas consequências económicas. Os israelitas têm protestado cada vez mais nas ruas para exigir a sua renúncia.

Tempo

Multimédia