Mundo

Líbia condena posição dos Emirados Árabes

O Governo líbio de União Nacional (GNA) denunciou ontem a “posição hostil” dos Emirados Árabes Unidos, que acolheram o general Ahmed al-Mesmari, porta-voz das forças do marechal Haftar, que organizou, sábado, uma conferência de imprensa no país do Golfo Pérsico.

Fotografia: DR

Durante o encontro com os jornalistas, segundo a AFP, o responsável declarou que “a solução militar era a melhor para restaurar a segurança e restabelecer a Lei na Líbia”, garantindo que a batalha de Tripoli estava na “fase final”.
O GNA, baseado em Tripoli e reconhecido pela ONU, denunciou, num comunicado, a posição hostil dos EAU, que aceitaram que a sua capital seja uma plataforma mediática para as milícias que atacam Tripoli, em referência às forças do marechal Haftar. Segundo o último balanço publicado pelo Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (ACNUR), desde Abril de 2019, os combates nos subúrbios de Tripoli já causaram 1.093 mortos e 5.752 feridos, forçando ainda a fuga de 120 mil pessoas.

Tempo

Multimédia