Mundo

Líderes da Alemanha e da França discutiram recuperação económica

A chanceler alemã, Angela Merkel, reuniu-se hoje com o Presidente francês, Emmanuel Macron, para discutir planos de recuperação económica, quando a Alemanha se prepara para assumir a presidência da União Europeia.

Fotografia: DR

A Alemanha inicia a presidência rotativa de seis meses da União Europeia (UE), na quarta-feira, numa altura em que a comunidade enfrenta os desafios de reabrir fronteiras e de recuperar a economia depois do impacto da pandemia de covid-19.

Angela Merkel disse, este fim de semana, que está convencida de que a Europa poderá superar os seus problemas, embora admitindo que a propagação do novo coronavírus se mantém como ameaça, e que as medidas de recuperação da EU precisam de ser aprovadas o mais depressa possível.

Merkel e Macron propuseram, em Maio, a criação de um fundo de recuperação económica, no valor de 500 mil milhões de euros, que deveria ser conseguido através de um plano de subvenções e empréstimos compartilhados.

A proposta foi adoptada pela Comissão Europeia, que apresentou a ideia de um fundo de 750 mil milhões de euros, composto essencialmente por subvenções, tal como era pedido pelos países mais afectados pela pandemia, como a Itália e a Espanha, com o apoio de outros países, incluindo Portugal.

Porém, essa proposta está a enfrentar forte resistência, por parte dos chamados "países frugais" (Dinamarca, a Holanda, a Áustria e Suécia) que preferem ver esse fundo recheado através de empréstimos a longo prazo contraídos por cada um dos países.

Este terá sido o tema forte da conversa entre Merkel e Macron, que conversaram numa residência oficial do Governo alemão, nos arredores de Berlim.

Além dos planos futuros para a presidência alemã da UE, os dois líderes devem ter ainda abordado as relações com a China e com os Estados Unidos, bem como as políticas de migração.

Tempo

Multimédia