Mundo

Líderes dos protestos anunciam Conselho

Os líderes do movimento de protesto no Sudão anunciaram, que apresentarão hoje um “conselho civil”, após pedirem em vão aos militares a transmissão do poder para uma autoridade civil, noticiou ontem a BBC.

Os manifestantes aumentaram a pressão sobre os militares
Fotografia: DR

“Os nomes dos membros de um conselho civil encarregado dos assuntos do país serão anunciados numa conferência de imprensa hoje, às 19 horas, frente ao Quartel-general do Exército em Cartum”, refere um comunicado da Associação de Profissionais Sudaneses (SPA), o grupo que lidera os protestos.
“Exigimos que este Conselho civil, que será integrado por representantes do Exército, substitua o Conselho militar”, disse à imprensa Ahmed al Rabia, dirigente da SPA.
Desde o dia 6 de Abril que milhares de sudaneses estão acampados frente do Quartel-general do Exército. Inicialmente, exigiam a saída do ex-Presidente Omar el-Bashir, derrubado em 11 de Abril pelos militares, após quatro meses de manifestações populares deflagradas pela decisão de triplicar o preço do pão.
Agora, pedem a dissolução do Conselho Militar de Transição que lhe sucedeu e a instauração de um poder civil.
O Conselho militar prometeu uma transição para um Governo civil, mas sem especificar uma data.
Ontem, milhares de pessoas voltaram a responder ao apelo dos manifestantes e encheram as ruas da capital, Cartum para pressionar os militares a entregarem o poder aos civis.
Embora não tivesse atingido o número de um milhão de manifestantes que foi pedido, a verdade é que vai crescendo diariamente a adesão popular no sentido de que a transição do poder seja feita o mais rapidamente possível para que o país possa regressar à normalidade depois do golpe de Estado que derrubou Omar al-Bashir.

Tempo

Multimédia