Mundo

Luta pelo controlo do porto de Hodeida provoca mais de 50 mortos

Pelo menos, 47 militantes huthis e 11 combatentes pró-Governo morreram ontem na batalha pelo controlo da cidade portuária de Hodeida, oeste do Iémen, informaram fontes médicas à agência France Press.

Iémen vive a pior crise humanitária do mundo
Fotografia: DR

A maioria dos huthis morreram em consequência de ataques aéreos atribuídos à coligação anti-rebelde liderada pelos sauditas, disseram os médicos. Fontes militares iemenitas indicaram que “os combates continuam.”  As forças pró-governamentais iemenitas, apoiadas pela coligação internacional sob comando saudita, têm realizado operações terrestres, aparentemente para cercar a cidade nas mãos dos militantes huthis, apoiados pelo Irão.
Os combates causaram perto de 200 mortos em menos de uma semana, segundo fontes militares e médicas. A batalha de Hodeida ameaça a distribuição de ajuda humanitária, dado que o porto da cidade é porta de entrada para 70 por cento das importações e da assistência internacional ao Iémen.
O Iémen está praticamente dividido em dois, com as forças pró-governamentais a controlarem o sul e uma boa parte do centro e os rebeldes a ocuparem o norte e parte significativa do oeste. A guerra desde 2014 causou mais de 10 mil mortos e provocou, segundo a ONU, a pior crise humanitária no mundo com milhões ameaçados pela fome.

Tempo

Multimédia