Mundo

Maduro será implacável contra tentativa de golpe

O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, informou que as autoridades estão a capturar militares activos e reformados, polícias e funcionários civis envolvidos na tentativa de golpe de Estado travado na semana passada, que teria sido operacionalizado a partir da Colômbia e EUA, em solo venezuelano, e prometeu na quarta-feira ser “implacável” se ocorrer uma tentativa de “golpe fascista”.

Fotografia: DR

“Seremos implacáveis numa contra-ofensiva revolucionária contra a tentativa de um golpe fascista”, afirmou Nicolás Maduro, num evento com apoiantes do chavismo.
O Chefe de Estado enfatizou que as suas declarações não devem ser encaradas como uma ameaça: “o que pode acontecer é uma revolução mais radical, uma revolução mais profunda”.
Maduro disse que possui “mais de 56 horas” de gravações dos envolvidos e, após um longo período de 14 meses, deu "a ordem para os deter a todos", atribuindo o fracasso desta insurreição fracassada ao “tremendo moral e consciência dos oficiais”.
Entre os alegados planos dos conspiradores estaria o assassínio de membros do Governo e de generais das Forças Armadas Nacionais da República Bolivariana da Venezuela, bem como de pessoas ligadas aos chamados “colectivos” - organizações que o apoiam -, bem como o uso de explosivos para “destruir os serviços públicos”.

Tempo

Multimédia