Mundo

Mais de 30 profissionais de saúde morrem de ébola

Mais de 30 profissionais de saúde morreram após terem contraído o vírus ébola desde o início da epidemia em Agosto, na República Democrática do Congo (RDC), anunciaram ontem as autoridades.

Fotografia: DR

Os esforços mobilizados para conter o último surto da doença foram dificultados pelos confrontos persistentes no leste do país.
De acordo com o Ministério congolês da Saúde, 101 profissionais de saúde foram infectados com o vírus do ébola nas províncias do Kivu-Norte e de Ituri, situadas no leste da República Democrática do Congo.
As autoridades precisam que 34 agentes sanitários morreram vítimas da doença.
Estes números ilustram o pesado custo pago pelos funcionários da saúde em nove meses de epidemia.
Expostos ao vírus, os profissionais enfrentam, igualmente, ameaças ligadas à segurança no leste do país, aterrorizado pelo activismo de grupos armados.
Há três semanas, médicos e enfermeiras saíram às ruas de Butembo, o último reduto da doença, para denunciar os ataques a que estão submetidos.
Estes reiterados ataques aos centros de tratamento do ébola e aos profissionais de saúde criam entraves nos esforços para conter a doença.Mais de mil pessoas morreram vítimas da febre hemorrágica do ébola no leste da RDC desde Agosto do ano passado.

Tempo

Multimédia