Mundo

Manifestação em Moscovo acaba em 500 pessoas detidas

Mais de 500 pessoas que participaram ontem numa manifestação não autorizada da oposição russa contra a exclusão de candidatos nas eleições locais de 8 Setembro foram detidas pela Polícia de Moscovo.

Fotografia: DR

O número de detidos foi avançado por uma organização não-governamental (ONG) que contabilizou mais de 560 detenções, em pouco mais de três horas, desde que o protesto teve início (às 14h00 horas locais, 12h00 horas em Angola) e que juntou milhares de pessoas no centro da capital russa.
Esta manifestação foi convocada pela oposição extraparlamentar para exigir o registo dos seus candidatos às eleições municipais que vão realizar-se em Setembro, tendo a Polícia moscovita advertido na sexta-feira que pretendia utilizar todos os meios para impedir o protesto, não autorizado.
Informações anteriormente avançadas indicavam que a Polícia estava a transferir os detidos para carrinhas instaladas na zona da concentração, horas antes de esta se ter iniciado.
A Polícia de choque decidiu também criar uma barreira de defesa para impedir que os manifestantes se aproximassem da prefeitura, localizada na avenida Tverskaya, na zona central da cidade.
Devido ao forte aparto policial, o acesso à zona onde decorreu a manifestação, também, foi cortado para evitar que mais pessoas se juntassem a este protesto.
O líder da oposição Alexei Navalny foi detido a semana passada, para evitar que pudesse liderar o protesto, e deverá cumprir 30 dias de prisão.
A comissão eleitoral moscovita recusou o registo de 57 candidatos, onde se incluem alguns dos principais dirigentes da oposição, que acusam as autoridades de manipular milhares de assinaturas recolhidas nas últimas semanas pelos candidatos e transcrevê-las incorrectamente no registo electrónico.

Tempo

Multimédia