Mundo

Manifestantes mantêm as estradas bloqueadas

Os protestos continuam na Catalunha, Espanha, após a condenação pelo Supremo Tribunal dos principais dirigentes políticos envolvidos na tentativa de independência em 2017, dezenas de voos foram cancelados, ontem, em Barcelona e foi convocada uma greve geral para sexta-feira.

Os manifestantes continuam a agitar as ruas de Barcelona
Fotografia: DR


De acordo com a companhia aérea Vueling, citada pelo jornal “La Vanguardia”, a tripulação e o pessoal de terra não conseguiram chegar ao aeroporto, os manifestantes cortaram o trânsito nas estradas N-II em Mataró (Barcelona) e C-65 em Cassa de la Selva (Girona), queimando pneus e madeira.
Uma fonte do Serviço de Trânsito Catalão (SCT) informou que a rede de estradas catalã amanheceu com incidentes, depois de, na segunda-feira, os manifestantes terem bloqueado e impedido a circulação rodoviária em várias estradas da região.
A plataforma independentista “Tsunami democràtic” anunciou mais concentrações nos próximos dias em frente das principais delegações do Governo na região.
A Confederação Sindical Catalã (CSC) e a Intersindical Alternativa de Catalunha (IAC) convocaram para sexta-feira uma greve geral pelos “direitos e liberdades dos trabalhadores.” Além da paralisação, está prevista uma manifestação que tem como ponto de partida os Jardinets de Gràcia, refere a Europa Press.
Os responsáveis pela CSC e IAC fizeram saber, em conferência de imprensa, que a greve geral tem como objectivo “exigir a restituição” dos direitos dos trabalhadores que foram “cortados” nos últimos anos.
O presidente independentista do Governo regional catalão, Quim Torra, assegurou, ontem, que não vai “desfalecer nunca” no exercício do direito à auto-determinação da Catalunha. Torra fez esta declaração num discurso, em memória do ex-presidente do Executivo catalão, Lluís Companys.

Tempo

Multimédia