Mundo

Marinheiros da Líbia abandonam pessoas

Um vídeo da ONG alemã Sea-Watch publicado ontem mostra uma patrulha da Marinha líbia durante uma acção com ocupantes de um bote insuflável no Mediterrâneo a abandonar imigrantes na água, tendo provocado o desaparecimento de pelo menos 50 pessoas, de acordo com a organização.

Embarcação da Marinha líbia deixou imigrantes à sua sorte
Fotografia: Alessio Paduano | AFP

Nas imagens, actualmente nas mãos do Ministério Público de Ragusa, na Itália, que abriu uma investigação, é possível ver a embarcação da Marinha partindo com alguns refugiados a bordo, apesar de ter pessoas agarradas nas cordas e outras a   serem lançadas ao mar.
Perto do navio  estava um barco com integrantes da Sea-Watch que estavam a resgatar parte do grupo e conseguiram gravar o incidente, que causou mortes e desaparecidos.
O jornal “La Repubblica” publicou a história de uma mulher ajudada pela ONG alemã e que perdeu o marido, que estava no navio líbio e saltou para a água na tentativa de embarcar com a esposa.
“Os líbios ligaram o motor arrastando-o  e a todos os outros que estavam na água. Não voltei a vê-lo. John não sabia nadar. Estava a salvo, mas morreu porque não queria voltar para à Líbia, queria vir comigo para a Itália”, explica Darfish, do Camarões.
Os ocupantes de um helicóptero da Marinha italiana também foram testemunhas. Na gravação dá para ver que eles pedem que os líbios parem a embarcação e ajudem os imigrantes.
De acordo com a ONG, cerca 50 pessoas desapareceram, enquanto outras 42 gritavam desesperadas por terem sido separadas de famílias e amigos que estavam no barco da Sea-Watch.
A organização diz que os integrantes só conseguiram recuperar os corpos de cinco pessoas, entre elas uma criança de dois anos. Os técnicos esperam recuperar mais corpos nos próximos dias, mas insistem que se deve sancionar a Líbia.

Tempo

Multimédia