Mundo

Mário Vaz confiante na superação da crise

O Presidente da Guiné-Bissau, José Mário Vaz, disse que os próximos dias serão cruciais para que os guineenses demonstrem ao mundo que são capazes de acabar com a crise política que, afirma, tem provocado cansaço a todos.

Presidente guineense promete “soluções internas” à crise
Fotografia: Issouf Sanogo | AFP

No discurso à nação, por ocasião do fim-do-ano, o Chefe de Estado guineense considerou que é chegada a hora de se acabar com a crise que já dura há mais de dois anos através de soluções internas que conduzam à reconciliação.
“Nós não devemos confiar mais nos outros que vêm de fora, desvalorizando e deixando de lado os nossos irmãos. Essa atitude não é boa para a imagem do nosso povo e nem para o nosso país”, defendeu.
José Mário Vaz sublinhou serem válidas todas as propostas de saída da crise apresentadas até aqui, nome­adamente o Acordo de Conacri e o roteiro que o próprio elaborou e demonstrou aos seus homólogos na última cimeira da Comunidade Económica de Estados da África Ocidental (CEDEAO), realizada na Ni­géria, no passado dia 16 de Dezembro. />O estadista guineense apontou o ano de 2018 como o da reconciliação nacional, apelou a todos os cidadãos para unirem esforços para a saída da crise política, deixando de lado ambições e egoísmos.
“Não podemos deixar que pequenas coisas nos dividam, todos somos irmãos e é certo de que um dia já divergimos em algum momento nas nossas vidas, mas nem por isso não reconsideramos as nossas posições”, frisou ainda José Mário Vaz. Apesar do impasse político, o Presidente  entende que “o país mudou”, dando como exemplos “a paz civil autêntica”, nos últimos três anos, com o calar das armas nos quartéis militares, com o fim das mortes por motivações políticas e de prisões arbitrárias, bem como com o acentuar das liberdades dos cidadãos.

Tempo

Multimédia