Mundo

Medidas restritivas em Cabo Verde

A frequência para banhos nas praias da ilha cabo-verdiana do Sal só será permitida entre às 6 e às 10 horas, no âmbito das medidas restritivas do Governo para conter a propagação do novo coronavírus naquela ilha.

A frequência para banhos nas praias da ilha cabo-verdiana do Sal só será permitida entre às 6 e às 10 horas
Fotografia: DR

A determinação consta de uma circular do Instituto Marítimo e Portuário (IMP), após as medidas restritivas anunciadas na sexta-feira pelo Governo, de funcionamento das atividades económicas para conter a propagação do novo coronavírus nas ilhas cabo-verdianas de Santiago e do Sal.

Na circular, o instituto determina a possibilidade de banhos em sete praias da ilha do Sal (Santa Maria, Pedra de Lume, Palmeira, Murdeira, Ponta Cino, António Souza e Algodoeiro), mas apenas por um período de quatro horas e na parte de manhã.

Segundo o IMP, vai ser ainda permitida a prática de desportos náuticos individuais (surf, bodyboard, windsurf, kitesurf) em quatro praias dessa ilha, que viu ainda prorrogado o Estado de Calamidade, tal como Santiago, os dois principais focos de transmissão da doença.

Entretanto, na ilha de Santiago, mantém-se a interdição de frequência e acesso a todas as praias balneares, determinou ainda o instituto cabo-verdiano.

Na circular, o IMP sublinhou que mantém as regras de utilização em todos os cenários, nomeadamente, manter o distanciamento físico de no mínimo dois metros, evitar aglomerações, respeitar as orientações das placas sinaléticas e, ainda, o uso e frequência das zonas marítimas balneares consideradas perigosas e impróprias para banhos.

Com as novas medidas restritivas ao funcionamento das actividades económicas, que entram em vigor às zero horas de amanhã, mantêm-se encerradas as instalações e proibidas as actividades culturais, recreativas, desportivas, de lazer e diversão, em estabelecimentos ou espaços de diversão, nomeadamente discotecas e salões de dança ou locais onde se realizem festas.

Também continuam proibidas as atividades desportivas, culturais e de lazer que impliquem aglomerados de pessoas, as actividades em ginásios, academias, escolas de artes marciais e de ginástica e a actividade balnear na ilha de Santiago.

Com duração de 21 dias, as medidas têm outro destaque no uso de máscaras faciais, que, a partir de amanhã, passa a ser obrigatório para todas as pessoas que circulem ou permaneçam em todos os locais públicos, abertos ou fechados e incluindo na via pública, e independentemente do tipo de actividade que estejam a realizar.

Tempo

Multimédia