Mundo

Morteiro atinge hotel em Tripoli onde estavam vários deputados

Um morteiro atingiu sexta-feira à noite um hotel em Tripoli onde estavam reunidos deputados que contestam as forças do marechal Khalifa Haftar, o homem forte no leste da Líbia.

Fotografia: DR

De acordo com a AFP, as autoridades ligadas ao Governo de Acordo Nacional (GNA) acusaram elementos conotados com o marechal rebelde de serem responsáveis pelo ataque ao Complexo Hoteleiro de Rixos que não terá causado vítimas mortais, tendo danificado a entrada do centro de conferências e quebrado numerosas janelas.Segundo várias fontes, não houve nenhum ferido grave.
O Complexo de Rixos, que conta com um hotel e um centro de conferências, foi a sede do primeiro Parlamento eleito após a queda de Muammar Kadhafi em 2011. O Primeiro-Ministro da Líbia, Fayez al-Serraj, apoiado pela Organização das Nações Unidas, condena o silêncio dos aliados internacionais perante a escalada da ofensiva militar liderada pelo marechal KhalifaHaftar. Centenas de pessoas morreram e perto de mil ficaram feridas desde o início da ofensiva do Exército Nacional Líbio (ENL) do marechal Khalifa Haftar para conquistar Tripoli, capital líbia, indicou a Organização Mundial de Saúde (OMS) num balanço divulgado há alguns dias.
Em entrevista recente à BBC, Fayez al-Serraj diz sentir-se abandonado pela comunidade internacional. Para o chefe do Governo líbio, a falta de apoio dos parceiros internacionais poderá “conduzir a outras consequências”, citando o risco dos extremistas do Estado Islâmico se aproveitarem da instabilidade no país.
O Governo de Acordo Nacional acusa as autoridades francesas de apoiarem o marechal Khalifa Haftar. França já refutou as acusações, qualificando-as como “completamente infundadas”.
“As declarações de apoio e cobertura diplomática ao marechal Haftar são completamente infundadas”, disse um alto funcionário do Ministério dos Negócios Estrangeiros de França.

Tempo

Multimédia