Mundo

Netanyahu alerta Assad para represálias de Israel

O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, advertiu ontem o Presidente sírio Bashar al-Assad para represálias do seu país se permitir que o Irão crie raízes militares na Síria.

Primeiro-ministro israelita
Fotografia: DR

“Penso que há uma nova abordagem que deve ser adoptada e a Síria deve entender que Israel não permitirá o enraizamento militar iraniano na Síria contra Israel”, alertou Netanyahu em visita a Londres, assinalando que “as consequências não serão apenas para as forças iranianas, mas também para o regime de Assad”.
Netanyahu considerou que, “agora que a guerra acabou, que o Daesh (acrónimo árabe para o grupo radical Estado Islâmico) acabou”, Assad não pode permitir a instalação do Irão “com a intenção de atacar Israel, de potencialmente destruir Israel a partir do território sírio”.
“Penso que Assad deve ter isto em consideração (...) Se disparar sobre nós, como acabámos de demonstrar, destruiremos as suas forças”, declarou o chefe do Governo israelita durante um encontro com a imprensa no centro de reflexão britânico Policy Ex-change. Na segunda semana de Maio, Israel realizou de-zenas de ataques aéreos contra alvos na Síria, apresentados como iranianos, afirmando ripostar a tiros de “rockets” iranianos contra a zona dos montes Golã que ocupou e anexou.
O Observatório Sírio de Direitos Humanos disse, em Londres, que a onda de ataques israelitas contra posições militares suspeitas na Síria causou 42 mortos, entre os quais pelo menos 19 iranianos.  Nos meses anteriores, o exército israelita já tinha realizado dezenas de ataques contra posições do movimento xiita libanês Hezbollah e das forças iranianas na Síria.

Tempo

Multimédia