Mundo

Nyusi aceita demissão do presidente do INE

O Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, aceitou na terça-feira, à tarde, a demissão do presidente do Instituto Nacional de Estatística (INE), Rosário Fernandes, que colocou o lugar à disposição, na sequência da controvérsia sobre o recenseamento eleitoral.

O Presidente moçambicano, Filipe Nyusi
Fotografia: DR

A Presidência da República, numa nota à comunicação social, a que a Lusa teve acesso, referiu que Rosário Fernandes foi “exonerado” do cargo, sem indicar as ra-zões da decisão. O presidente do INE colocou, na semana passada, o seu lugar à dispo-sição, invocando “coerência e princípios.”
O INE contestou os dados dos órgãos eleitorais moçambicanos sobre o registo eleitoral na província de Gaza, sul do país, considerando que o apuramento obtido naquele círculo eleitoral só será possível com as projecções da população de 2040. A situação levou o Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, a questionar publicamente, há uma semana, a disparidade entre os números do INE e os das autoridades eleitorais.

Ataques
Diversas organizações da sociedade civil moçambicana consideraram ontem, em comunicado, que os ataques armados em Cabo Delgado, norte do país, estão a provocar um círculo vicioso de aumento de pobreza e maior atracção de jovens por movimentos violentos.
“A intensificação do conflito militar com os protagonistas dos ataques armados agrava os níveis de pobreza na província, tornando muitos jovens capturáveis por movimentos violentos, alimentando-se de um círculo vicioso”, lê-se no documento intitulado Declaração de Pemba, capital da província.

Tempo

Multimédia