Mundo

ONU: Angola deve aprender a viver com a Covid-19

O coordenador residente da ONU em Angola defende que o país deve procurar o equilíbrio entre as actividades sociais e económicas enquanto luta contra a Covid-19, melhorando a comunicação sobre como viver com o vírus.

coordenador residente da ONU em Angola,Paolo Balladelli
Fotografia: DR

Em entrevista à Lusa, Pier Paolo Balladelli, que termina o seu mandato a 05 de Agosto assinalou que as Nações Unidas têm estado a trabalhar com o Governo e a sociedade civil para determinar quais são as condições de segurança para prosseguir as actividades económicas e sociais e melhorar a coesão social sem perigo de transmissão da doença.

"Não podemos deixar de fazer o que for necessário para continuar a vida e aguardar que termine a transmissão da Covid-19, que vai estar connosco um tempo longo dependendo da capacidade que terá o mundo para ter uma vacina efectiva com a qual se poderiam criar condições de quase normalidade", argumenta o médico especialista em Saúde Pública.

"Até lá temos de continuar a tomar todas as medidas, de forma a que tudo possamos continuar, com precauções que permitam evitar o contágio", realçou. Paolo Balladelli considerou que Angola tomou decisões correctas no que diz respeito à covid-19 e teve tempo para se preparar e adiar o início da epidemia, mas esta era esperada.

"Sabíamos que iria chegar e de forma acelerada, é o que está acontecer neste momento, estamos numa fase de transmissão comunitária e temos de fazer esforços para continuar com as medidas de distanciamento, mas por outro lado temos todos os protocolos que nos permitem continuar com as actividades sócio económicos. Temos de chegar a esse equilíbrio e esperar que a epidemia ultrapasse o ponto crítico, o pico, e depois comece a diminuir", vincou o responsável. 

Para Paolo Balladelli é crucial investir na comunicação "para diminuir o impacto dessa grande tragédia que é a Covid".

Tempo

Multimédia