Mundo

ONU considera urgente investigar episódios de violência policial nos EUA

A ONU considerou ontem urgente investigar os episódios de violência policial registados nos Estados Unidos durante as manifestações contra a morte de George Floyd e os ataques sofridos por vários jornalistas que cobriam os acontecimentos.

Fotografia: DR

“Temos assistido a casos de violência policial nos últimos dias e reiteramos o que temos dito em muitas outras situações de violência policial: a primeira é que obviamente todos os casos têm de ser investigados", disse o porta-voz da organização, Stéphane Dujarric, durante a sua conferência de imprensa diária.

 O porta-voz afirmou que a Organização das Nações Unidas (ONU) considera necessária, para os agentes em todo o mundo, uma formação adequada em matéria de direitos humanos e investimento no apoio social e psicológico à polícia, para que esta possa fazer o seu trabalho de proteger devidamente a comunidade.

Questionado sobre os ataques a vários jornalistas por agentes da autoridade, Dujarric argumentou que todos esses casos também devem ser investigados e alertou para uma mensagem no Twitter publicada no fim de semana pelo secretário-geral da ONU, António Guterres. "Quando os jornalistas são atacados, as sociedades são atacadas. Nenhuma democracia pode funcionar sem liberdade de imprensa e nenhuma sociedade pode ficar sem jornalistas que investiguem as más práticas e confrontem o poder com a verdade", lê-se no tweet de Guterres, não mencionando diretamente o que aconteceu nos Estados Unidos.

Sobre os protestos e motins no país, Dujarric frisou que a mensagem da ONU é idêntica à de casos semelhantes em outros países: "as queixas devem ser ouvidas, mas devem ser expressas de forma pacífica e as autoridades devem mostrar contenção na resposta aos manifestantes". O porta-voz salientou que "a diversidade é uma riqueza e não uma ameaça", mas sublinhou que "o sucesso de sociedades diversificadas em qualquer país exige um grande investimento na coesão social", a fim de reduzir as desigualdades, agir contra a discriminação e oferecer oportunidades para todos.

George Floyd, um americano de 46 anos, morreu na noite de 25 de maio, em Minneapolis, após uma intervenção policial violenta, cujas imagens foram divulgadas através da Internet. Floyd foi detido por suspeita de ter tentado pagar com uma nota falsa de 20 dólares num supermercado. Num vídeo filmado por transeuntes e divulgado nas redes sociais, é possível ver um dos agentes pressionar o pescoço de Floyd com o joelho durante vários minutos. No mesmo vídeo, vê-se Floyd a dizer ao polícia que não conseguia respirar.

 Desde então, várias cidades norte-americanas, incluindo Washington e Nova Iorque, têm sido palco de manifestações, com os protestos a resultarem frequentemente em confrontos com a polícia.

Tempo

Multimédia