Mundo

ONU denuncia casos de atraso de crescimento

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) exprimiu preocupação pelos elevados níveis de anemia e problemas de crescimento entre os refugiados, segundo um estudo de saúde pública feito aos deslocados.

O comunicado  analisa os progressos feitos até ao momento e destaca algumas tendências, com base nos indicadores do ACNUR, em relação à saúde pública, reprodutiva, nutricional, alimentar e também em matéria de água e higiene, num total de 37 operações. Foram detectados níveis críticos de anemia infantil em mais de 50 por cento dos assentamentos em 2017, enquanto que apenas três por cento cumpriam os padrões estabelecidos, com uma prevalência menor de 20 por cento.
O ACNUR descobriu que apenas 25 por cento dos locais atingiram níveis aceitáveis de atraso de crescimento em crianças  até 5 anos.

Tempo

Multimédia