Mundo

“Operação Minerva” trava imigração ilegal

Uma operação policial denominada “Minerva 2018”, com a participação de agentes de cerca de 20 países europeus, incluindo Portugal, arrancou ontem em diferentes portos espanhóis para reforçar a vigilância e lutar contra a imigração ilegal.

Polícias de mais de 20 países realizam inspecções a viajantes
Fotografia: DR

Esta operação, segundo a agência de notícias EFE, é liderada pela polícia espanhola e coordenada pela Frontex (Agência Europeia de Gestão da Cooperação Operacional nas Fronteiras Externas dos Estados-Membros da União Europeia), irá decorrer até 18 de Setembro.
Os portos de Algeciras, Tarifa e Ceuta passam assim a contar com um reforço de vigilância, com a presença de polícias de duas dezenas de países europeus.Esta operação tem o objectivo principal de controlar os fluxos migratórios irregulares para países dos estados membros da União Europeia, visando também contribuir para a luta contra crimes de dimensão transfronteiriça, incluindo a ameaça terrorista.
Segundo a informação da Polícia espanhola, para além de Portugal, colaboram na Operação Minerva deste ano Bélgica, Suíça, República Checa, Alemanha, Estónia, Finlândia, Suécia, Letónia, França, Itália, Lituânia, Holanda, Eslováquia e Roménia, participando como observadores convidados a Ucrânia, Moldávia, Geórgia e Estados Unidos. Os polícias envolvidos estarão ainda atentos ao tráfico de pessoas, ao tráfico de estupefacientes e de substâncias psicotrópicas e ao tráfico ilícito de armas.Esta operação, que já está no terreno há 12 anos, tem sido considerada pela Frontex como altamente eficaz uma vez que permite a inspecção de um grande número de pessoas, veículos e pertences. Em 2017, nesta mesma operação, realizaram-se mais de um milhão e meio de inspecções fronteiriças de viajantes, bem como mais de 300 mil veículos.

Tempo

Multimédia