Mundo

Oposição recua na investidura de Raila Odinga

A oposição queniana anunciou, em Nairobi, ter adiado os seus planos sobre a investidura de Raila Odinga como presidente alternativo do país, desfazendo assim o clima de tensão política que se havia instalado e abrindo caminho para possíveis conversações com o Governo, disse fonte ligada ao partido de Odinga.

Odinga recusa a derrota
Fotografia: Tony Karumba | afp

A coligação da oposição queniana (NASA) tinha planeado empossar “publicamente” Odinga ontem, dia em que Quénia comemorou o aniversário da sua independência, um acto que a Procuradoria Geral da República consideraria de alta traição.
Na véspera, o Presidente queniano, Uhuru Kenyatta, rejeitou qualquer diálogo com o líder da oposição, Raila Odinga, que boicotou o recente escrutínio.
Kenyatta disse que o tempo de política já passou e que o país se deve concentrar no desenvolvimento até às próximas eleições, em 2022.
Uhuru Kenyatta foi reeleito com 98 por cento dos votos, em Outubro deste ano, numa votação boicotada por Odinga. Kenyatta venceu a eleição inicial, realizada em Agosto último, mas foi anulada pelo Tribunal Supremo que evocou  irregularidades durante o processo.
A NASA explicou que vai adiar a cerimónia da tomada de posse de Odinga, após “consultas com vários interlocutores nacionais e internacionais”, mas sem especificar nome de qualquer mediador envolvido nas conversações.
A coligação indicou que vai anunciar uma nova data da tomada de posse de Odinga e o lançamento da sua Assembleia do Povo “bem como de uma resistência mais vigorosa e prolongada” contra o Governo.
O plano de instalar Odinga como presidente alternativo ameaçava exacerbar a tensão eleitoral.

Tempo

Multimédia