Mundo

Pai de Assange diz que filho sofreu tortura

O pai de Julian Assange concedeu ontem uma entrevista ao "Good Morning Britain", em que revelou a agonia que sente frente à situação do filho, que pode incorrer numa pena de prisão de 150 anos.

Fundador do Wikileaks arrisca 150 anos de prisão
Fotografia: DR

Em directo a partir da sua casa, em Melbourne, John Shipton diz que quer que o filho regresse à Austrália para “apanhar algum ar fresco e para ter a oportunidade de pensar naquilo que fez”.
O pai de Assange alega que o fundador do WikiLeaks passou 18 meses em isolamento apesar de ter recebido a visita de uma série de celebridades, como Pamela Anderson, Lady Gaga e o futebolista Eric Cantona, durante os sete anos em que esteve na Embaixada do Equador, em Londres.
John Shipton disse que Assange foi vítima de tortura psicológica, afirmando que neste momento as comunicações com o filho estão proibidas.
Julian Assange está, actualmente, na prisão de alta segurança de Belmarsh, depois de a Embaixada do Equador lhe ter retirado o asilo.

Tempo

Multimédia