Mundo

Papa Francisco critica “cultura do parentesco”

O Papa Francisco criticou, ontem, em Madagáscar, a “cultura do parentesco”, que leva ao “favoritismo, clientelismos e à corrupção”. Segundo a Reuters, Francisco partiu do Evangelho de Lucas para dizer que “não é fácil seguir os passos de Jesus”, já que há várias “exigências” nesse caminho, sendo a primeira delas “verificar as nossas relações familiares”.

Fotografia: Dr

“Quando o parentesco se torna a chave decisiva e determinante de tudo o que é justo e bom, acaba-se por justificar e até mesmo “consagrar” alguns comportamentos que levam à cultura dos privilégios e da exclusão: favoritismos, clientelismos e, consequentemente, corrupção. A exigência do Mestre faz-nos elevar o olhar, dizendo “quem não for capaz de ver o outro como um irmão, deixar-se comover pela sua vida e situação, independentemente da sua origem familiar, cultural e social, não pode ser meu discípulo”. O Papa falava na homilia da missa a que presidiu, este domingo, em Antananarivo.
Francisco esteve em Madagáscar 30 anos depois da passagem de São João Paulo II pela ilha. Hoje, bem cedo, o Papa ruma às Ilhas Maurícias, o último país da sua 31ª viagem apostólica.

Tempo

Multimédia