Mundo

Paulistas protestam contra Bolsonaro na segunda-feira

O movimento social Frente Povo Sem Medo convocou para amanhã um protesto em São Paulo contra posições do Governo do Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, que classificou como uma “escalada autoritária no país”.

Acções do Presidente do Brasil motivam "Frente Povo Sem Medo" para realização de um protesto em São Paulo
Fotografia: DR


Num evento criado na rede social Facebook, o protesto, intitulado “Ditadura Nunca Mais”, é promovido pela Frente Povo Sem Medo e pelo activista Guilherme Boulos, líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) e ex-candidato à Presidência do Brasil. Os organizadores do protesto alegam que Bolsonaro “com palavras, atacou a memória de Fernando Santa Cruz, desaparecido político da ditadura, revelando cumplicidade com o crime e fez uma piada com 58 mortes num presídio no Pará”.
Na passada segunda-feira, Bolsonaro causou polémica ao afirmar que o activista, pai do actual presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz, foi morto por membros de uma organização política de esquerda chamada Acção Popular, versão que não coincide com a das agências responsáveis por investigar crimes políticos cometidos no país durante o regime militar.
O Chefe do Estado brasileiro também recusou comentar um massacre ocorrido dentro de uma prisão no Estado do Pará há uma semana, que terminou com 58 mortos. Outros quatro reclusos que eram transferidos daquele presídio também morreram dentro de um camião durante o transporte para outra penitenciária. Em declarações à imprensa, Bolsonaro afirmou que preferia saber o que as vítimas dos reclusos achavam do massacre.
Os organizadores da manifestação também criticam um decreto editado pelo ministro da Justiça, Sérgio Moro, que autoriza a expulsão sumária de estrangeiros considerados perigosos.
Os organizadores acrescentam ainda que o Presidente brasileiro e o seu Governo actuam para “intimidar a sociedade e atacar quem resiste”.

Tempo

Multimédia